Sábado, 22 de Janeiro de 2022
23°

Poucas nuvens

Maripá - PR

Política Politica

Bancada evangélica quer desmentir Datafolha e contrata pesquisa para ouvir fiéis

Agora, as lideranças evangélicas – em especial pentecostais e neopentecostais – se moveram para contratar uma empresa para fazer uma pesquisa no segmento e confrontar os dados levantados pelo Datafolha.

25/12/2021 às 23h05
Por: Redação Fonte: Gospel Mais
Compartilhe:
Bancada evangélica quer desmentir Datafolha e contrata pesquisa para ouvir fiéis

Uma pesquisa realizada pelo Datafolha, sugerindo que há uma predileção entre evangélicos pelo ex-presidente Lula (PT), fez a bancada evangélica se mobilizar e contratar uma pesquisa particular para provar que os dados apresentados pela empresa do Grupo Folha não são verdadeiros.

Na última semana, a empresa de pesquisas divulgou um relatório que aponta o ex-presidente Lula (PT) como o mandatário melhor avaliado pelos evangélicos, mesmo envolvido em diversos processos por corrupção e lavagem de dinheiro.

Agora, as lideranças evangélicas – em especial pentecostais e neopentecostais – se moveram para contratar uma empresa para fazer uma pesquisa no segmento e confrontar os dados levantados pelo Datafolha.

Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), deputado federal que assumirá a presidência da Frente Parlamentar Evangélica em 2022, e o bispo Robson Rodovalho, líder da igreja Sara Nossa Terra, entendem que as pesquisas mais recentes não refletem a realidade.

De acordo com a CNN Brasil, ambos compreendem que mesmo com as dificuldades econômicas decorrentes da crise nascida na pandemia, a maioria dos evangélicos continua apoiando o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Entretanto, a bancada evangélica e outros líderes que possuem trânsito junto ao governo entendem que é preciso agir para amenizar os efeitos da crise, pois o impacto maior se dá sobre as classes econômicas menos favorecidas, onde está a maior parte do rebanho evangélico.

O programa social Auxílio Brasil, que substitui o Bolsa-Família, ampliando sua abrangência e relevância, é uma das respostas do governo para esses problemas, aliado ao combate à inflação.

A analista Thais Arbex, da CNN, disse ter ouvido de Rodovalho que a classe média e os pequenos empresários precisam ser atendidos, pois esse grupo também carece de estímulos, como algumas reformas propostas e atualmente debatidas no Congresso, principalmente a tributária.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias