Segunda, 23 de Novembro de 2020 23:56
44 99988-4455
Maripá Maripá

Ministério Público pede aos vereadores para não lerem mais a mensagem bíblica durante a pauta das sessões

O assunto causou indignação e repercussão entre os vereadores e população

27/10/2020 08h59
2.229
Por: Redação
Foto: Internet
Foto: Internet

O Ministério Público do Estado do Paraná - através da 1ª Promotoria da Comarca de Palotina encaminhou a Recomendação Administrativa nº 012/2020 à Câmara de vereadores de Maripá, através do Ofício nº 310/2020 de 04 de setembro de 2020, recomendando aos vereadores para não lerem mais a mensagem bíblica durante a pauta das sessões, e diante da mesma, o Presidente da Câmara de Vereadores resolveu acatar a recomendação. Diante desse fato, um vereador, inconformado, resolveu requerer explicações via requerimento ao presidente, por qual motivo acatou sem lutar ou pedir uma orientação do Conselho de Ministros, e o mesmo ainda distribuiu cópias para representantes de igrejas, que culminou na indignação do povo Maripaense..

Tal recomendação do Ministério Público, originou-se de queixa de um cidadão, morador e eleitor do município, solicitando em data de 07 de Novembro de 2019, "que a Câmara do Município de Maripá reveja seus hábitos religiosos, em prol da diversidade e por respeito as minorias", alegando que "crucifixo na parede do Plenário e a leitura da Bíblia nas sessões Legislativas não parecem-me atitudes ecléticas com a população". "Bom seria um mural educativo com todos os símbolos religiosos, ou não expor nenhum", justificou o cidadão.

O assunto causou grande repercussão no município, haja visto, segundo o IBGE, a grande maioria da população do município de Maripá é composta de cristãos (Católicos e Evangélicos). Segundo o censo de 2010 eram 2.825 católicos e 2.759 evangélicos numa população de 5.684 pessoas, ou seja, mais de 98% da população é considerada cristã. (https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/maripa/panorama )

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias