Domingo, 09 de Agosto de 2020 02:38
44 99988-4455
Cotidiano Casos

Casos de sarampo na região alertam maripaenses para necessidade de manter vacinação em dia

Casos de sarampo na região alertam maripaenses para necessidade de manter vacinação em dia

05/12/2019 11h21 Atualizada há 8 meses
9
Por: Redação
Com dois casos de sarampo confirmados na região, - um em Toledo e outro em Marechal Cândido Rondon - a Secretaria de Saúde de Maripá alerta a população sobre a necessidade de manter a carteira de vacinação em dia. A vacina é a forma mais efetiva de prevenção da doença e está disponível em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município. No Brasil, a vacina de prevenção do sarampo é a tríplice viral, ou SRC, que protege contra três doenças virais: sarampo, caxumba e rubéola. De 1 a 29 anos, devem ser tomadas duas doses da vacina; de 30 a 49 anos, uma dose; e acima dos 50 anos, caso a pessoa queira tomar, a vacina é aplicada apenas com prescrição médica. Atualmente os bebês a partir de seis meses recebem a imunização e até os 11 meses estão revendo uma dose da vacina de sarampo, considerada dose zero, que não descarta as duas doses que irão receber aos 12 e aos 15 meses. As pessoas que já tomaram as doses necessárias, não precisam se vacinar novamente. A vacina deve ser tomada apenas por aqueles que não tem comprovante da vacinação ou que não tomaram a quantidade de doses indicadas. Em caso de dúvidas, a orientação é de que o cidadão procure a UBS mais próxima. O sarampo é uma infecção viral altamente contagiosa, transmitida por via aérea por meio da fala, espirro, tosse e respiração. Ela pode acometer todas as faixas etárias suscetíveis e tem maior gravidade em crianças e idosos. O vírus do sarampo pode levar a complicações como encefalite, meningite e pneumonia. Os sintomas mais comuns causados pelo sarampo são febre, tosse, mal-estar, conjuntivite e coriza. Outro sintoma característico da doença são manchas brancas na parte interna das bochechas, chamadas exantema de Koplik. Segundo a dentista da Secretaria de Saúde, Karin Klug, as manchas de Koplik são um dos primeiros sinais visíveis do sarampo, por isso, o pré-diagnóstico da doença pode ser dado por um dentista durante a avaliação. “Essas lesões são formadas por focos de necrose epitelial e, sem dúvidas, são a principal característica oral da doença, mas outras manifestações podem ocorrer na boca como candidose, gengivite ulcerativa necrosante alterações na odontogênese (hipoplasias) e aumento dos tecidos linfoides localizadas na região interna das bochechas”, explica. O vírus do sarampo é transmitido de uma pessoa para outra cerca de quatro dias antes e quatro dias depois do aparecimento do exantema. CASOS - Após vinte anos sem registro da doença no Paraná, o primeiro caso foi confirmado em Campina Grande do Sul no mês de agosto e agora chega a Toledo e Marechal Cândido Rondon, com casos confirmados, além de um caso que está em investigação no município de Palotina. No Paraná, hoje, já são mais de 1303 casos notificados, sendo 429 deles confirmados e 725 em investigação, conforme dados da Secretaria de Estado da Saúde (SESA/PR).
Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias